Ícone do Whatsapp

6 maneiras de reconhecer um Glioma

O glioma é um tipo de tumor e reconhecê-lo pode ser difícil, pois os sintomas podem ser confundidos com outras condições médicas. Veja quais são os principais sinais que o corpo pode apresentar e obter o diagnóstico precoce.

radiologista analisando o resultado de um exame de imagem feito por ressonância magnética

Cerca de 33% dos tumores cerebrais são gliomas, tipo de câncer que se origina no cérebro, a partir das células gliais, que são as células de suporte do sistema nervoso central e fornecem nutrientes e proteção a essa região. 

O glioma acomete, geralmente, pacientes com mais de 40 anos, mas pode afetar crianças e adolescentes. E reconhecer os sinais de um glioma para obter o diagnóstico precoce, é fundamental para ter um tratamento eficaz. Mas você sabe quais os sinais que o seu corpo apresenta e que podem ser indicativos de glioma?

Neste artigo, iremos explorar os 6 principais sintomas que o corpo apresenta em casos de glioma e como o diagnóstico é importante para um tratamento bem-sucedido. Boa leitura! 

Veja quais as 6 maneiras de reconhecer um Glioma: 

O glioma é um tipo de câncer cerebral e como todos os tumores malignos, é fundamental reconhecer os sintomas de um glioma para obter o diagnóstico o mais rápido possível.  

1. Dores de cabeça  

Uma das primeiras manifestações de um glioma é por meio de dores de cabeça constantes. E por mais que seja um sintoma comum de várias outras condições, quando se trata de um glioma, a dor é intensa e localizada em uma área específica da cabeça. Além disso, a dor de cabeça pode ser acompanhada de outros sintomas como náusea, vômito e tontura. 

homem com as mãos na cabeça sofrendo de dor de cabeça pulsante e unilateral
A dor de cabeça é uma das primeiras manifestações de um glioma, apresentando uma dor intensa e localizada em uma área específica da cabeça.  

2. Problemas na visão

O glioma pode pressionar a área do cérebro responsável pela visão, causando problemas como visão dupla ou turva, ou até mesmo perda de visão em um ou ambos os olhos.   

3. Problemas de comunicação 

Os gliomas podem afetar áreas do cérebro responsáveis pela fala e linguagem, levando ao paciente apresentar problemas de comunicação, como ter dificuldade para formar frases e falar ou compreender a fala de outras pessoas.  

4. Convulsão 

A convulsão é um sintoma comum de glioma e isso indica que o tumor cerebral está pressionando a área do cérebro que controla as atividades elétricas do corpo. Por isso, o glioma pode causar crises de convulsões leves a graves e pode incluir perda de consciência, além do controle da bexiga ou dos intestinos.  

5. Mudanças de humor ou personalidade

Os gliomas podem afetar as funções cognitivas, como a memória e o raciocínio. Essas mudanças podem levar o paciente a sofrer com alterações na personalidade ou comportamento, como confusão, irritabilidade, apatia ou desorientação.  

6. Fraqueza muscular

O glioma pode pressionar ou danificar a área do cérebro que controla os movimentos musculares, resultando em fraqueza muscular, causando perda de equilíbrio ou dificuldade para caminhar, ou até mesmo paralisia em uma parte do corpo. 

Uma vez que você está atento aos sinais do seu corpo, isso pode te ajudar a identificar a presença de doenças e outras condições de forma precoce, aumentando as chances de um tratamento bem-sucedido. 

Entretanto, é importante relembrar que esses sintomas podem ser causados por outras condições médicas. Caso sinta um ou mais dos sintomas apresentados, é fundamental procurar um médico, pois somente ele será capaz de realizar exames para obter um diagnóstico correto.  

Quais os tipos de Glioma

Um glioma pode se desenvolver em qualquer parte do cérebro e eles são classificados de acordo com sua gravidade, dividido em graus que vão do I a IV. 

  • Gliomas de grau I e II: são considerados tumores de baixo grau e têm uma probabilidade maior de serem curados com tratamentos como a cirurgia e a radioterapia; 
  • Gliomas de grau III e IV: são tumores de alto grau e os tipos mais agressivos, requerendo tratamentos mais intensivos, como a quimioterapia

Portanto, o tratamento do glioma dependerá de qual é o grau do tumor, além de outros fatores, como localização dele no cérebro e o estado de saúde do paciente. 

Tratamento e diagnóstico do Glioma 

O diagnóstico de um glioma começa com uma avaliação neurológica e exames de imagem, como ressonância magnética (RM) e tomografia computadorizada (TC). Os  exames de imagem são os responsáveis por fornecer informações importantes ao médico, como o tamanho do tumor e a sua localização no cérebro. 

médico realizando uma tomografia cerebral em uma paciente
Os exames de imagem são importantes no diagnóstico do glioma, por fornecer informações importantes, como o tamanho do tumor e a sua localização. 

E para confirmar o diagnóstico, o médico ainda realizará uma biópsia, que envolve a remoção de uma pequena amostra de tecido do tumor do cérebro, e que será examinado em laboratório para determinar o tipo e grau do glioma. 

Uma vez que o médico tenha em mãos as informações da localização e o grau do tumor, ele vai estudar o tratamento mais adequado que pode incluir cirurgia, radioterapia e quimioterapia. Além disso, a escolha do tratamento vai levar em conta o quadro de saúde do paciente. 

Por fim, não existe uma medida que possa evitar ou prevenir um glioma, além de evitar a exposição às radiações ionizantes. E é importante lembrar que esses sintomas não são exclusivos de um glioma e podem ser causados por outras condições de saúde.

A Unidade Médica Avançada conta com uma clínica no Itaim Bibi, em São Paulo, com médicos qualificados para tratar a dor e suas causas, com técnicas específicas desenvolvidas para a solução de algumas doenças. Agende uma consulta e tire as suas dúvidas.  

Data de publicação: